É PERIGOSO MERGULHAR COM TUBARÕES?



A primeira pergunta que sempre nos fazem quando chegam clientes novos na Bora Mergulhar, escola de mergulho, ou quando estamos contando “causos” para amigos não mergulhadores é: mas e se aparecer um tubarão no meio do mergulho, você não tem medo?


A gente logo responde: se aparecer tubarões a gente fica bem quietinho para poder apreciar esses seres maravilhosos, tão difíceis de serem encontrados nas nossas aventuras de mergulho com cilindro.


Ataques de tubarão no mergulho são raríssimos, saiba disso desde já. Os encontros com esses peixes maravilhosos são muito especiais e empolgantes. Normalmente eles fogem da presença humana, evitam o confronto pois a maioria deles não é agressivo. Basta não invadir o espaço deles a ponto de se sentirem ameaçados.


Segundo George Burgess, pesquisador do International Shark Attack File e consultor externo da pesquisa, ocorrem aproximadamente 75 ataques de tubarões por ano, apenas seis fatais. Para ter uma proporção, a humanidade mata cerca de 100 milhões de tubarões anualmente, segundo ele.


Encontrar um tubarão exige conhecimento do ponto de mergulho, vontade de mergulhar com tubarões e planejamento. Em todos os lugares do mundo existem pontos conhecidos pela frequência de avistamentos e espécie de tubarões normalmente encontradas, essa informação a própria operadora de mergulho vai te dar.


São mais de 500 espécies de tubarões catalogadas, mas só 3 delas são normalmente mais agressivas e exigem cuidados adicionais dos mergulhadores, são eles: tubarão branco, tubarão tigre e tubarão touro. A ocorrência destas 3 espécies no Brasil é rara, por isso é preciso encontrar outros pontos de mergulho ao redor do mundo se você quiser ver esses animais incríveis em seus habitats naturais.


O mergulho com tubarões exige conhecimento do mergulhador. Você vai saber de antemão se o local escolhido para o seu mergulho pode oferecer encontros com tubarões, qual a espécie e como você deve se comportar frente a cada reação deste peixe. Normalmente eles não gostam da presença humana e logo fogem, deixando mergulhadores maravilhados e desapontados, ao mesmo tempo!


Continue lendo sobre mergulho com tubarões ou veja o vídeo completo sobre o assunto que postamos no nosso canal do YouTube. Neste vídeo você poderá aprender um pouco sobre como se comportar se avistar um tubarão próximo, qual o maior, menor e mais rápido tubarão e muitas outras curiosidades e informações importantes para quem quer saber mais sobre mergulho com tubarões.



Os tubarões não se alimentam de seres humanos. Quando acontece algum ataque é porque o tubarão se sentiu ameaçado ou porque confundiu uma pessoa com sua presa.


Eu mesma fiz um mergulho no México com tubarões touro. Eram aproximadamente 15 mergulhadores, e respeitamos todas as orientações dos profissionais que nos guiaram enquanto mais de 10 tubarões touro nadavam ao nosso redor. Ficamos todos encostados com a barriga na areia, segurando em uma corda e juntos, sem fazer movimentos bruscos. A sensação foi inesquecível. O medo foi rapidamente superado pela emoção de dividir espaço com estes serem incríveis! Eles se aproximaram curiosos, mas rapidamente identificaram que não éramos uma ameaça, muito menos presas, então foram embora assim como chegaram, calmamente.


Já o mergulho com tubarões brancos é normalmente feito em gaiolas e são bem comuns no litoral da Austrália e África do Sul. Circulam muitos vídeos na internet de mergulhadores scuba, e até praticantes de mergulho livre, nadando junto com os brancos sem gaiolas, mas mergulhadores recreativos não terão essa chance. Os que se arriscam são mergulhadores experientes, que conhecem tubarões e normalmente conhecem os hábitos dos tubarões brancos do ponto de mergulho onde gravam seus vídeos. Nós não recomendamos que você corra este risco!


Os mais de sete mil quilômetros de costa brasileira são habitados por pelo menos 100 espécies diferentes de tubarões. Os naufrágios em Recife e os mergulhos em Fernando de Noronha são bem conhecidos pelos encontros frequentes com tubarões.


No norte e nordeste, por exemplo, é mais frequente a ocorrência do tubarão-lixa, tubarão-cabeça-chata e até do tubarão-tigre. Entre os tubarões típicos da região Sul, podemos destacar uma espécie de tubarão-martelo. Aliás, o Brasil é casa para sete das nove espécies de martelo conhecidas em todo o mundo.

Vale lembrar que o passeio tem que ser guiado por uma empresa com experiência no assunto e que conheça bem os animais.


Conhecer essa espécie e mergulhar com tubarões exige de nós uma postura de luta pela preservação.


A Bora Mergulhar, escola de mergulho em SP, existe para formar mergulhadores conscientes, inclusive sobre importância dos tubarões nos oceanos. Estando no topo da cadeia alimentar, a diminuição do número de tubarões pode desequilibrar toda a vida marinha. As espécies que eram "comida de tubarão" aumentam muito e ao longo do tempo isso pode não ser nada bom para aquele ecossistema.


Muitas das espécies de tubarões no Brasil estão desaparecendo. O grande fator de ameaça é a pesca, seja ela de pequena ou larga escala. Quando a prática não é legalizada, manejada, regularizada, monitorada e acompanhada, o resultado pode ser a extinção de algumas espécies de tubarão. A chave do problema não é o pescador, mas sim a falta de informação e educação das pessoas ao longo de dezenas de anos, que nunca tiveram acesso a uma educação ambiental consistente. A a destruição do habitat, a degradação química do ecossistema e poluição também são sérias ameaças às espécies de tubarões.


Cientes de nossa responsabilidade e unidos na luta pela proteção dos oceanos, felizmente a vida marinha ainda é uma linda surpresa, mesmo em pontos de mergulho em que já estivemos antes. As correntes, estações do ano, clima e outros fatores sempre trazem encontros incríveis e inéditos. Esperamos que alguns deles, com belos tubarões!


Bora conhecer o mundo subaquático, com ou sem tubarões, com a Bora Mergulhar? Conheça aqui nossos cursos de mergulho com cilindro.

81 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo