DOENÇA DESCOMPRESSIVA NO MERGULHO

O que é e como evitar a doença descompressiva?



Os primeiros estudos sobre a doença descompressiva foram realizados pelo fisiologista francês Paul Bert. Ele descobriu que os gases respirados sob pressão forçam grandes quantidades de nitrogênio para dentro do corpo e esses ficam em solução enquanto um mergulhador permanece exposto à pressão. O estudo de Paul Bert serviu para formar a base para as tabelas de descompressão desenvolvidas pelo fisiologista J. S. Holdane. Legal né!?


Quando um mergulhador sobe rapidamente a pressão externa é reduzida, o nitrogênio sai do processo de solução e pode formar bolhas na corrente sanguínea, que podem se alojar nos tecidos corporais e ocasionar sérios problemas. Para entendermos bem a doença descompressiva é importante conhecer a física por trás dela, o que possibilita que você seja capaz de se prevenir quando for mergulhar. Abaixo alguns conceitos importantes:


Lei de Henry: a quantidade de nitrogênio absorvida é diretamente proporcional à pressão parcial do gás, ou seja, quanto mais fundo você descer mais nitrogênio seu corpo vai absorver.

Gradiente: é velocidade com que o nitrogênio presente no sangue se difunde através dos tecidos e é absorvido pelos tecidos.

Difusão: é o movimento do gás passando de áreas onde está mais concentrado para áreas de menor concentração, da corrente sanguínea para os tecidos do corpo humano e vice e versa. A taxa da difusão pode ser maior ou menor dependendo da mistura de gases que está no cilindro quando mergulhamos, por isso é importante sabermos o que estamos respirando.

Perfusão: é velocidade com que o nitrogênio presente no sangue se difunde através do tecido pulmonar e é absorvido pelos outros tecidos do corpo.


Nosso corpo possui tecidos de rápida absorção e tecidos de absorção lenta dos gases. Por exemplo: o tecido adiposo possui uma grande afinidade com o nitrogênio, mas não é bem perfundido (vascularizado), portanto sua absorção é mais lenta.


Segundo Robert Workman, o corpo humano pode suportar um certo nível de saturação de nitrogênio. A razão máxima do nível de nitrogênio dissolvido no corpo aceitável no mergulho é de 1,58, sendo que na superfície essa razão é de 0,79. Você sabia que os valores das tabelas e computadores de mergulho são estabelecidas segundo este modelo científico?


No programa do curso de Open Water Diver nós vimos que a Doença Descompressiva ocorre quando a pressão externa diminui muito rapidamente e os gases dissolvidos começam a se expandir. Isso pode ser causado subindo muito rapidamente ou excedendo os tempos de limites não descompressivos . Quando isto acontece, formam-se bolhas de nitrogênio no sangue e nos tecidos durante a subida do mergulhador.


O principal sintoma da doença descompressiva é uma dor profunda e persistente, geralmente nas articulações do corpo devido à reduzida quantidade de circulação e menor capacidade de liberação do gás. O tratamento é a administração de oxigênio a 100% por pessoas qualificadas e o encaminhamento imediato a um profissional de medicina, que irá determinar o tratamento adequado ao mergulhador que venha a apresentar os sintomas.


É fácil prevenir a doença descompressiva! Para isso o mergulhador deve sempre seguir os seus limites de mergulho, planejá-los bem e seguir o planejamento, sempre observando a profundidade e o seu consumo de gás, evitando subidas rápidas (respeitar uma velocidade de subida de 9 metros por minuto), além de estar bem e preparado fisicamente. O consumo de álcool ou drogas, obesidade, fadiga, desidratação, entre outros fatores, podem afetar a absorção de nitrogênio e o surgimento da doença descompressiva, por isso seja consciente e respeite o seu corpo e os seus limites.


Gostou da matéria e quer conhecer mais sobre Doença Descompressiva, venha participar do curso Science of Diving - Ciência do Mergulho da SSI.


Por: Instrutor Antonio Teles de Medeiros

Fonte: SSI – Programas Open Water Diver e Science of Diving.




243 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo